Calvície Masculina

A calvície masculina para alguns pode até ser um charme, mas para a maioria dos homens se trata de um grande desconforto. Principalmente em casos onde a queda de cabelo aumenta gradativamente.

Se para os homens de meia idade, ou seja, acima dos 40, 50 anos, a queda de cabelo é um problema, a calvície precoce é ainda mais temida.

Calvície tem cura?

A  alopécia, termo médico para calvície, é caracterizada pela redução parcial ou total de cabelos, ou a ausência de pelos em uma determinada área da pele.

Apesar dos mitos e da quantidade de remédios milagrosos ofertados por aí, infelizmente não existe uma cura conhecida para a calvície, ainda. Mas, certamente, é possível controlar o seu avanço.

Há vários medicamentos e procedimentos que adiam a calvície. E em casos onde o tratamento tem início já quando são visíveis os primeiros sinais da calvície, eles podem fazer com que o processo seja retardado.

Calvície genética

A calvície é um processo natural, muito comum, principalmente entre os homens. Um dos tipos mais comum é a calvície androgenética, de origem hereditária.

Ela atinge nove em cada dez pessoas com o problema. Logo, para quem já tem o histórico familiar de calvície, a atenção aos sintomas deve ser redobrada.

Alguns principais sinais a serem observados são:

  • O afinamento dos fios;
  • A redução do volume dos cabelos.

O benefício desta identificação prematura se dá exatamente pelo fato de tornar possível a antecipação dos cuidados com os fios, buscando por tratamentos que minimizem os impactos a longo prazo.

primeiros sinais da calvície masculina

Causas da calvície masculina: genética, hereditariedade e emocional.

A hereditariedade, como mencionado acima, está entre os principais motivos para a calvície. Mas, está longe de ser o único motivo que levam os homens, e mulheres, à queda de cabelo.

A genética também é um dos motivos que levam à calvície, mas há variações. Não são só os genes dos pais que influenciam, os genes dos avós também contribuem.

Nos homens por exemplo, a calvície é causada por uma uma substância conhecida por DHT, que afina os fios. Se o pai ou a mãe tem calvície, há 50% de chance do filho ter também. Se os dois sofrem com o problema, há 75% de influência.

A tendência é que a calvície genética permaneça com a pessoa. Mas tratamentos podem minimizar, interromper e em alguns casos prevenir a perda dos cabelos.

Como identificar a calvície?

As manifestações clínicas da calvície masculina, como já apresentamos, são variáveis. Os primeiros sinais podem surgir ainda na adolescência, com alguns padrões característicos de perda dos cabelos.

Logo, uma das formas de evitar a calvície é buscando saber a idade com que os parentes do indivíduo começaram a observar a diminuição dos cabelos.

Normalmente o processo inicia com o surgimento das famosas “entradas”, conhecidas cientificamente pelo nome de “Alopecia Androgenética de Padrão Bitemporal”.

Logo em seguida ocorre a perda no topo da cabeça e na região mediana, preservando o cabelo da área occipital (região mais próxima ao pescoço).

alopécia androgênica

Diagnóstico clínico da calvície

Apesar da possibilidade de buscar dentro de casa sinais hereditários da calvície, é o diagnóstico clínico que vai, de fato, indicar o problema.

Tricoscopia Digital

A Tricoscopia Digital é um procedimento realizado com auxílio de aparelhos ópticos portáteis, conhecidos como Dermatoscópio ou Tricoscópio.

O exame permite visualizar o couro cabeludo, os ostios foliculares e as hastes dos pêlos através de imagens ampliadas.

Com isto, o profissional que realiza o exame consegue observar detalhadamente os aspectos mais importantes, que não poderiam ser observados a olho nu.

Exames de sangue e biópsia

Além da Tricoscopia, é possível fazer também exames de sangue e biópsia do couro cabeludo. Mas esses exames são indicados apenas em alguns casos. Apenas um Tricologista experiente poderá avaliar a necessidade destes exames.

Outros motivos

É importante ressaltar que a calvície pode surgir a partir de outras adversidades. Por exemplo nos casos de abuso de produtos químicos, medicamentos ou até estresse.

Há ainda outros motivos como alterações hormonais, perda de peso significativa, dietas muito restritivas, anemia e etc.

Nesses casos, é preciso um acompanhamento médico ainda mais próximo e eficaz pois, muitas vezes, uma mudança de estilo de vida pode retardar consideravelmente a evolução do quadro.

Tratamentos para a calvície masculina

De uma forma geral, os homens começam a perder cabelo por volta dos 20 anos.

Em média 12% dos homens ficam calvos até os 25. E 37% começam a enfrentar a queda dos fios aos 35 anos.

Chegar aos 40 com um baixo volume de queda do cabelo, bom sinal! Após essa idade, a testosterona naturalmente entra em declínio.

A Finasterida

A finasterida é uma substância que impede a formação da Dehidroepiandrosterona. Esse  hormônio precursor da Testosterona é abundante na circulação sanguínea e entra em declínio a partir dos 20 anos.

O Minoxidil

O Minoxidil trata-se de uma substância que provoca vasodilatação, aumentando a oferta de oxigênio no bulbo capilar, contribuindo para os fios voltarem a crescer.

Em casos mais amenos, xampus são excelentes aliados. Esses carregam substâncias como Cetoconazol e do Cetonax, que controlam a oleosidade e a caspa, fatores que intensificam a queda capilar.

O MMP (Microinfusão de Medicamentos na Pele)

A maioria das substâncias são aplicadas através do MMP. A Microinfusão de Medicamentos na Pele, nesse caso, se dá no couro cabeludo.

É natural verficar este procedimento sendo também chamado por Microagulhamento Capilar ou Dermaroller.

tratamento mmp tricologia

Transplante capilar é uma boa opção?

O transplante capilar consiste basicamente na retirada de uma estreita faixa de pele da nuca, que contém raízes capilares e glândulas sebáceas que nutrem o fio.

Essas raízes são separadas em poucas unidades e aplicadas uma a uma em minúsculos furos feitos na parte calva da cabeça. 

O procedimento utiliza uma anestesia local e a cabeça do paciente deve se manter enfaixada por cerca de 48 horas.

Em dez dias poderá levar uma vida normal e depois de dois meses as raízes produzirão cabelo normalmente.

Avaliação e cuidados

É indispensável certificar-se da qualidade dos profissionais que se propõem a tratar da calvície, principalmente se tratando de um tema rodeado de ofertas milagrosas e frustrantes.

Seja a opção por um tratamento mais simples ou algo mais complexo, o fato é que em ambos casos é preciso se resguardar. Estar confiante e segudo do conhecimento e da técnica de um profissional qualificado.

Portanto, não pense duas vezes em procurar clínicas especializadas, profissionais qualificado e, claro, apoio de tricologistas.

Estando certo dessa importância, sinta-se à vontade para entrar em contato e agendar uma avaliação com nossa especialista em tricologia, Dra. Flávia de Freitas.

Aguardamos o seu contato.